Seguidores

Pesquisar neste blogue

Vigilante - Arcade Review - Por: Old Game Master:

Loading...

terça-feira, 28 de outubro de 2008

História dos Handheld Games - Parte I :

A QUALQUER HORA E LUGAR, O IMPORTANTE É JOGAR...

Introdução:

Quando as pessoas me perguntam o por que de gostar tanto de videogames á ponto de dedicar tanto tempo jogando ou escrevendo sobre eles, eu respondo da seguinte forma: "Videogames possuem a capacidade fantástica de adaptar-se á qualquer tempo e tecnologia e mais... sempre buscam soluções criativas e por avanços para estarem além de nosso tempo."

A vontade de jogar não tem limites, assim como a jogabilidade não esta restrita somente á: Jogador, console e monitor. Graças aos portatéis ou Handheld Games, podemos jogar á qualquer hora e lugar e em momentos inclusive, que um bom jogo se faz necessário (Aquela fila interminavél,espera ou viajem muito longa) . Os portatéis acompanharam lado a lado os avanços dos consoles e estiveram sempre junto á eles e fizeram sua história.

E é exatamente o que eu gostaria de mostrar neste trabalho, mesclando o avanço dos Handheld simples (minigames) e os Handheld Games Consoles. É uma reformulação de um trabalho que fiz na Comunidade Geração Game, e que quero estar mostrando á todos aqui em nosso Blog.Este é o primeiro capítulo de uma série, do começo até os tempos atuais.

Primeiras definições:

Um Handheld Game é uma máquina ou dispositivo eletrônico, de pouco peso, alimentado por baterias (ou outra tipo de fonte) e portátil (esta última palavra sem dúvida é a melhor definição) com jogos pré definidos ou para jogos de videogame (cartuchos ou outra mídia permutável). A expressão e conceito que dá nome á este gênero de jogabilidade, vem da expressão americana combinada de: Hand (mão) Held(ing) ( derivado de Hold(ing) = segurar), trocando miúdos, Handheld Games , são jogos que se jogam segurando com as mãos.

Ao contrário dos Video Game Consoles, os controles, a tela e os alto-falantes são todos partes de uma única unidade. Através da década de 70 e boa parte da década de 80, muitas companhias famosas incluindo: Mattel, Coleco, Sega, Nintendo, Cassio, Sharp e a Milton-Bradley-fizeram dispositivos eletrônicos table-top ou handheld de pouco peso, feitos á partir dos dispositivos ou peças de consoles de videogames e jogos.

No começo estes dispositivos não eram caracterizado como consoles, desde que freqüentemente jogariam somente um único jogo. O primeiro console handheld verdadeiro com jogos e com cartuchos permutáveis foi o: Milton Bradley Microvision( vejam as imagens mais baixo) lançado em 1979 embora existam registros de um minigame feito com uma tela e luzes LED em 1977 produzido pela Mattel. A Nintendo dominou o mercado handheld desde que o Game Boy foi inventado em 1989, e é creditado freqüentemente como percussor e por popularizar o conceito handheld do console.

Para facilitar a compreensão, vamos definir os Handhleds da seguinte forma:

Handheld Games Simples ( ou minigames como costumanos chamar) : São dispositivos simples com um ou mais jogos, mas que não usam mídias (cartuchos ou MDs) permutaveis.

Handheld Game Consoles: São dispositivos mais elaborados e com a capacidade de usarem mídias para vários jogos.

Handheld Electronic Game: (mais conhecido como: MINIGAMES)-Primeiros passos:


Acima e ao Centro (Cliquem na imagem para ampliar) Mattel Auto Race (1976) e Mattel Electronic Football (1977) que usavam um red-led displays muito simples; a jogabilidade consistia: o jogador pressionava as teclas correspondentes para mover seu ícone do carro ou do quarterback (representado por um ponto mais brilhante) para evitar os obstáculos (representados por pontos menos brilhantes).


Em 1978 a Milton Bradley Company incorporou-se ao mercado Handheld (handheld market) com Simon (ou Genius como é conhecido no Brasil) um jogo simples de combinação de som e cor.No mesmo ano, a Parker Brothers lançou também Merlin, um handheld mais sofisticado que poderia jogar seis jogos diferentes usando uma disposição de 11 teclas com diodos emissores de luz ou LEDS integrados.

Os jogos eletrônicos Handheld são dispositivos muito pequenos, portáteis para jogar jogos interativos, versões freqüentemente miniaturizadas dos jogos de videogame. Os controles, a exposição e os alto-falantes são toda à parte de uma única unidade. Melhor que uma tela de uso geral é composto de uma grade de pixels pequenos, e geralmente são projetados para jogar apenas um jogo programado. Esta simplicidade remonta o fato de que eles poderiam ser feitos até mesmo de componentes de um simples relógio digital, e na maior parte das vezes eles eram e traziam consigo esta capacidade inclusa. A saída visual destes jogos pode variar de alguns bulbos claros pequenos ou de luzes do diodo emissor de luz como às telas alfanuméricas das calculadoras (trocando em miúdos, as imagens dos personagens, movimentação e os pontos marcados na tela); Mais tarde esta tecnologia foi substituída por telas liquid crystal(cristal liquido) e Vacuum fluorescent display screens com imagens mais detalhadas, no caso dos modelos coloridos de handheld games.Estes Handhelds eram muito populares durante a década de 70, e considerados atrasados e ultrapassados no inicio da década de 90. São os precursores e hoje uma das alternativas mais baratas ao console handheld (ex: Brick Games vendidos em lojas ).

A PRIMEIRA ERA AINDA SOBREVIVE...

BRICK GAME: Barato, Divertido e Nostálgico.

A despeito de toda nossa sofisticação e avanço tecnológico na área dos Handheld Games, ainda encontramos remanescentes da primeira era dos chamados minigames, em sua forma mais simples. Hoje os tipos mais comuns de handheld games encontrados são os jogos de Poker e Blackjack (Em bares ou em vídeo bingos, mas proibidos pela Legislação Brasileira) ou mesmo as versões mais comuns do jogo Tetris. Este geralmente caracterizando muitos jogos diferentes usando a disposição os blocos de Tetris em uma tela muito simples, de baixa matriz e de ponto de definição. Tais mini-games tentam recriar através de Tetris outros games clássicos como: Space Invaders, utilizando os blocos como se fossem "pixels". O mais avançado destes projetos pode facilmente ter mais de 20 jogos distintos executados e caracterizar o som multi-channel, a síntese de voz ou amostras digitais dos sons, e a memória interna do CMOS que pode gravar o progresso atual e as contagens elevadas do jogo quando o sistema é desligado. E os preços podem ser tão baixos e baratos, quanto uma simples revista de videogames.

Touch Me Hand Held Game da Atari (1974/1977 e 1978.):

TOUCH ME da Atari. A versão Handheld baseada no jogo do Arcade não conseguiu ser bem sucedida.

Touch Me foi um arcade lançado pela Atari em 1974. A versão arcade era um gabinete pequeno onde havia 4 botões circulares. Era permitido ao jogador cometer até três erros nas seqüências determinadas pela máquina, e que deveria ser repetida pelo jogador, se cometesse três erros ou demorasse a completar a sequencia no tempo certo, o jogo acabava. O jogo, porém não conseguiu competir com versões mais modernas dos Arcades e maquinas de Pinball na época e logo foi ultrapassado, portanto não foi muito bem sucedido. Em 1977, Ralph Baer foi quem viu um potencial com um conceito chamado "Simon says” (“Simon diz”) por detrás do Touch Me game.Ele trabalhou em cima da idéia e a melhorou significativamente, adicionando teclas coloridas e efeitos sonoros e musicais, e criou o jogo handheld chamando de: Simon (mais conhecido no Brasil como Genius - da Estrela), que logo tornou-se um sucesso. A Atari vendo o sucesso de Simon, lançou a versão Handheld do Touch Me em 1978. Infelizmente, assim como o arcade original, o Touch Me handheld game não foi um grande sucesso. Muitos viram o Touch Me handheld como um clone de Simon, quando na verdade o conceito era outro, e então o Touch Me breve saiu de linha. Simon, enquanto isso, continua a ser vendido até hoje, mesmo quase 30 anos depois.

Microvision - 1979: Milton Bradley:

Acima e ao centro (Cliquem na imagem para ampliar) duas versões do Microvision: Block Buster e a edição "Phaser" baseado na série de ficção cinetifíca americana Star Trek.

O Microvision foi um console handheld lançado pela Companhia Milton Bradley em 1979. O Microvision foi projetado por Jay Smith (Pessoa mais á direita da imagem), coordenador que projetaria mais tarde o console de videogame Vectrex . A combinação de um console portátil aliado ao fato de usar pequenos cartuchos intercambiáveis baseados num sistema Led, e a um trabalho notável de engenharia de Smith, fizeram com que o sitema ganhasse oito milhões de dólares só no primeiro ano de lançamento.Entretanto, muito poucos cartuchos, uma tela pequena, e uma falta da sustentação e investimento das companhias video home estabelecidas para a produção de novos jogos conduziram a seu encerramento de produção em 1981.

Microvision-Especificações Técnicas:

• CPU: Intel 8021/TI TMS1100 (no cartucho)
• Tipo de tela e resolução: 16 x 16 pixel LCD
• Largura de registro (memória): 4 bit (TMS1100), 8 bit (8021)
• Velocidade do processador: 100 kHz
• RAM: 32 nybbles (16 8-bit bytes integrados a CPU)
• ROM: 2K
• ROM do cartucho: 2K masked (interagindo com a CPU; cada CPU do jogo era diferente)
• Video Display Processor: Customizado (feito pela Hughes)
• Som: Piezo beeper
• entradas: teclado de 20 botões, um paddle
• Power requirements: One 9 volt battery (TMS1100 processors), Two 9 volt batteries (Intel 8021 processors).

Game Watch: 1980 -1991
NINTENDO.

Ball - Silver - 1980.

Donkey Kong -Multi -Screen - 3 de junho de 1982.

Mario Bros - Multi -Screen - 14 de Março de 1983.

A série de handheld Games: Game Watch foi uma linha de aproximadamente 59 jogos eletrônicos handheld feitos pela Nintendo e criados por Gunpei Yokoi (横井 軍平) de 1980 a 1991, só lembrando que ele também foi fabricante de brinquedos e o responsável pela criação do design” Cruz” do direcional do control pad (joystick ou controle). Cada um caracterizaram um único jogo que poderia ser jogado em uma tela do LCD, além de um pulso de disparo,um relógio e um alarme. Alguns dos títulos disponíveis para o formato Game & Watch eram jogos que variavam desde: Mickey Mouse a Balloon Fight assim como muitos sucesso da própia Nintendo , tais como: Donkey Kong, The Legend of Zelda e Mario Bros.

Os consoles handheld do Game & Watch eram pequenos e possuíam apenas um único botão. muitos destes dispositivos foram lançados depois com o direcional estilo (D-pad) compreendida: cima, baixo, esquerda e direita no lado da mão esquerda e geralmente um, às vezes dois botões á direita. No lado direito superior haviam três teclas: Alarme, Tempo & tecla do jogo (embora alguns modelos tivessem o acréscimo,de uma quarta tecla,“jogo B”). Os modelos diferentes possuíam duas telas.O Nintendo DS possui um sistema semelhante.A origem do Game Watch é no mínimo curiosa, Gunpei Yokoi, viajando em um trem bala, viu um homem de negócios brincando e tentando jogar com uma calculadora digital com tela de exposição em LCD pressionando as teclas. Yokoi pensou então pensou em inventar algo próximo a isso, um minigame para matar o tempo.

Epoch Game Pocket Computer.
Japão - Epoch - 1984:

Epoch Game Pocket Computer Box.
Epoch Game Pocket Computer pilhas já inclusas na embalagem e manuais de instrução. Sistema que teve pouco suporte e que não saiu do Japão.

O Epoch Game Pocket Computer foi um handheld game console lançado pela Epoch no Japão em: 1984. Era somente um sistema verdadeiramente handheld do segundo a ser lançado (Microvision de Milton Bradley era primeiro). O Game Pocket Computer usava uma tela do LCD com 75 x 64 em definições, e pôde produzir gráficos no nível mais ou menos idêntico como os dos jogos do Atari 2600 . O sistema foi um fiasco no Japão, em conseqüência disto, somente 5 jogos foram lançados para ele. Um puzzle game e um paint program estavam já inclusos no sistema. Era alimentado com 4 pilhas tamanho AA , e era possível fazer o ajuste de brilho na tela.Possivelmente, devido a sua falha no Japão, O Game Pocket Computer nunca foi lançado na América do Norte e demais regiões.

TURBO Express/ TURBO GT
Japão/EUA : 1990 - NEC:


O TURBOEXPRESS ou (PC Engine GT no Japão) era uma versão portátil do TURBOGRAFX-16/PC Engine, lançado em 1990 por $249.99(o preço aumentou momentaneamente para $299.99, mas breve, caiu de novo para $249.99, e então em 1992 foi para $199.99).Este foi o handheld mais avançado, durante seu tempo, e podia jogar todos os jogos do TURBOGRAFX-16/PC Engine game (que eram pequenos cartões, menores que um cartão de crédito comum e eram chamados de HUCARDS). Ele tinha uma tela de 66 mm (2.6 in.) o mesmo tamanho de uma tela de Game Boy, e podia gerar 64 sprites de uma vez, 16 por scanline, e 482 cores de uma paleta de512. Ele tinha 8 kilobytes de RAM. O Turbo Ram tinha uma CPU de 6820 a 3.58 ou 7.16 MHz.O TURBOVISION TV tuner incluía uma entrada RCA de audio/video, permitindo assim que você usasse o Turboexpress como monitor de vídeo. O TURBOLINK permitia uma jogabilidade entre dois jogadores linkando dois TURBOEXPRESS. Falcon, um incluía um "head-to-head" dogfight mode (competição, mano a mano com um caça) que poderia ser acessado graças ao TURBOLINK. Porém, muito poucos dos jogos do TG-16 games ofereciam o chamado co-op play modes (jogos cooperativos).
Enquanto o sistema era tecnologicamente superior aos outros handhelds de sua era, teve ainda seus problemas. Devido a um problema com capacitores baratos, a falha no som era um problema freqüente com o TURBOEXPRESS. Uma outra edição era queima ou perca constante de pixels; devido à qualidade da tecnologia do LCD naquele tempo, a taxa da falha do pixel era muito elevada. TURBOGRAFX-16 HUCARDS gravavam seus dados na memória interna do TURBOGRAFX-CD, TURBODUO R ou TURBODUO RX, ou no TURBOBOOSTER Plus (um periférico da Hudson soft, lançado como uma espécie de memory card para a versão Core do console TG-16).

O TURBOEXPRESS falhou nesta parte: internal RAM memory, e como resultado, o aparelho não era capaz de gravar os dados dos jogos.Texto era também difícil ou impossível ler dentro determinadas circunstâncias, isso por que muitas das fontes (estilos de escrita) foram feitos para serem lidos em monitores de TV, e não em Telas LCD minúsculas. Com resultado, certos RPGs e adventure games eram extremamente tediosos e difíceis de serem jogados neste sistema.Outro problema era a durabilidade das baterias (3 horas), que também foram os principais problemas de Handhelds deste período, tais como o:Game Gear e Atari Lynx.

Atari Lynx/ Atari Lynx II ("HANDY").
Atari/Epyx -1989/90:

Atari Lynx - Segunda aposta da Atari no mercado de Handheld Games. Design inovador e o primeiro com monitor LCD Colorido da história.

O Atari Lynx foi o segundo handheld game da Atari (lembremos que o primeiro foi: Touch Me).Mas a Atari já havia trabalhado também em projetos de Handheld games baseados em versões de seus jogos como: Breakout e Space Invaders e o Atari Cosmos portable/tabletop console, e o Atari Atlantis. Porém estes projetos foram engavetados, a partir do desenvolvimento do Lynx. O Lynx, porém teve o privilégio de ser o primeiro console Handheld a ter uma tela LCD colorida (Seguido pela Sega depois com o Game Gear). O sistema também se destaca por seu design (que lembra muito o PSP atual) gráficos avançados além de ser um dos únicos handhelds desenvolvidos para um sistema ambidestro (ou seja, destros e canhotos podiam jogar sem problema e com muito conforto). O Lynx foi lançado em 1989, no mesmo ano em que o Nintendo (monocromático) Game Boy. Porém o Atari Lynx falhou em atingir as grandes massas e não tinha as mesmas parcerias que Nintendo tinha no desenvolvimento de seus jogos, o Nintendo Game Boy teve apoio total dos game developers (empresas que desenvolvem jogos).

Hoje, como com muitos dos consoles mais velhos, existem ainda alguns grupos pequenos de fãs devotados, criando e vendendo jogos para o sistema. Um emulador chamado Handy foi lançado para jogar jogos do Lynx em PCs em 2000, historicamente o primeiro emulador de handheld.

O sistema foi desenvolvido pela Epyx assim como: "Handy" e completado em 1987. Epyx mostrou primeiro o Handy System na Winter Consumer Electronics Show (CES) em janeiro de 1989. Enfrentando problemas financeiros, Epyx procurava parcerias e sócios. Atari e a Epyx concordaram que a Atari iria cuidar da produção e do marketing, Epyx iria cuidar do desenvolvimento do software .

A Atari substituiu o alto falante interno e o "Stick" do control pad, antes de lançá-lo em 1989, inicialmente o sistema seria vendido nos EUA a $189.95. A Atari mostrou então o Lynx em 1989 durante a CES. Porém, O Nintendo Game Boy foi introduzido no mercado em 1989 durante a CES. Vendido a $109 ele era 58% o preço de um Lynx, sem o colorido e os chips adicionais.A Nintendo não teve problemas em fornecer seu aparelho aos varejistas durante o natal daquele ano, enquanto a Atari, fez uma distribuição limitada.

Rygar para o Lynx - Muito bem colorido, mas os gráficos e sua definição não impressionam.

Durante 1990, o Lynx teve as vendas moderadas, mas o Game Boy da Nintendo continuava a ganhar a parte de mercado. In 1991, Atari relançou o Lynx com uma nova campanha de marketing, nova embalagem, pequenos up-grades no hardware, um novo design. O novo sistema (chamado pela Atari como o "Lynx II") vinha com apoio de borracha para as mãos e uma tela
retroiluminada mais desobstruída de cores com uma opção da economia de energia. E eles substituíram a entrada de fone de ouvido mono do Lynx original, por um estéreo.

O novo pacote do Lynx, vinha sem os acessórios e o preço do aparelho despencou para $99.Embora as vendas melhorassem, a Nintendo dominava ainda o mercado handheld. Em maio 1991, Sega lançou seu gaming portátil o Game Gear, em comparação ao Lynx ele tinha um custo mais elevado, um volume maior, e uma vida mais baixa da bateria. Entretanto, o Game Gear contava com alguns jogos clássicos do Master System e ganhou seu público mais rapidamente, a Nintendo dominava o mercado, a Sega em um distante segundo lugar e o Lynx em terceiro.O Lynx foi deixado cair e finalizou sua produção em 1994. Como o Gênesis (Sega) e o Super Nintendo enchendo as prateleiras dos varejistas, A Atari começou a voltar seus esforços para o Jaguar, um novo console.

Lynx:Especificações Técnicas:

Especificações técnicas:
Processador MOS 65SC02 processador rodando á 4 MHz (~3.6 MHz em média)
CPU de 8-bit, 16-bit de espaço endereçado.
Sound engine:
4 canais de som(Lynx II with panning)
8-bit DAC para cada canal(4 canais × 8-bits/canais = 32 bits commonly quoted)
Drive de Vídeo DMA para tela de cristal líquido 4,096 paleta de cores (12-bit) paletas.
16 cores simultâneas(4 bits) para as paletas e por scanline (mais de 16 cores podem ser mostradas mudando as paletas e o scanline)
8 System timers (2 reservadas para o LCD timing, uma para o UART)
Interrupt controller:
UART (para o ComLynx) (formato fixado 8E1, para 62500Bd)
512 bytes de bootstrap e um game-card loading ROM.
Suzy (16-bit customizados do chip CMOS rodando á: 16 MHz)
Graphics engine :
Hardware drawing support:
Números ilimitados de pixels de alta velocidade com detecção de coalisão.
Hardware com escalas de sprites de alta velocidade, distorção, e efeitos tilting.
Hardware decodificando e comprensando o sprite data
Hardware clipping e multi-directional scrolling
Taxa de Frame variado (aproximadamente 75 frames/second)
160 x 102 resolução básica (16,320 de pixels endereçados)
Math co-processor:
Hardware :16-bit × 16-bit → 32-bit multiplicados por acumulação opcional; 32-bit ÷ 16-bit → 16-bit divididos
Pelo processador paralelo da CPU e um single multiply ou um divide instruction
RAM: 64Kbyte 120ns DRAM
Memória: Cartuchos - 128, 256 e 512Kbyte existentes, acima de 2Mbyte é possível com um bank-switching logic.
Alguns (caseiros) com EEPROM para salvar e gravar os High Scores.
Portas: Entradas e Saidas/portas:
Headphone port: (mini-DIN 3.5mm stereo; wired para mono no Lynx original)
ComLynx (Unidade Múltipla de Comunicação Serial)
Tela LCD: 3.5" diagonal
Battery holder (six AA) ~4-5 hours

2 comentários:

AÇOGUERO disse...

Reinaldo, ficou show de bola o trabalho sobre os portateis, os minigames tem muita história pra contar.

Marcello disse...

Isso é voltar no tempo com muita satisfação.
Excelente matéria sobre nossos queridos "mini-games"!

M@®©ELL0 StudioM