Seguidores

Pesquisar neste blogue

Vigilante - Arcade Review - Por: Old Game Master:

Loading...

quinta-feira, 11 de março de 2010

Kung Fu Master - Arcade Review - Por: Old Game Master:

RELEMBRANDO OS BONS TEMPOS DE UM DOS PERCURSORES DO BEAT'EM UP:

Em Dezembro de 1984 a Irem lançava no Japão o jogo: Spartan X que mais tarde nos EUA e restante do mundo ficaria conhecido como: Kung Fu Master.

Considerado um dos jogos génese do Beat'em Up nos Arcades,toda a fórmula empregada tanto na trama do jogo quanto na mecânica de jogabilidade, ditaram toda uma tendência do que veríamos mais tarde quando o gênero se consagrou através de outros títulos como: Double Dragon e Final Fight.

O jogo ganhou versões para consoles domésticos como: Atari 2600, Atari 7800,Amstrad CPC, Apple II, BeOs x86, Commodore 64, Dos , Java, Linux, NES/Famicom (com direito a continuação), Game Boy, MSX (Irem/Versão ASCII do jogo: Seiken Achō), Playchoice-10 (uma versão Arcade do Nes), Sega SG-1000, Sinclair ZX Spectrum e uma versão 3D para o Windows.Isso sem contar uma versão para o handheld: Gameking chamada Nagal.

Nos Arcades, muitos afirmam que o jogo: Vigilante é uma das sequência espirituais de Kung Fu Master não só pela mesma empresa que desenvolveu ambos mas tamanha a semelhança entre os dois jogos.Sem mais delongas, vamos conhecer a trama por detrás deste clássico.


A TRAMA POR DETRÁS DE: KUNG-FU MASTER:
Tradução: Old Game Master:



Na tela de Introdução do jogo( logo após o carregamento do Arcade) vemos um grupo cercando Thomas e Sílvia. Enquanto Thomas estava ocupado nocauteando alguns lutadores outros sorrateiramente sequestra a moça.

Thomas então recebe uma carta e descobre a identidade do sequestrador de sua namorada, o misterioso Mr.X habitante do: "Templo do Demónio", sede de uma organização criminosa.

Os "cinco filhos do demónio" são cada um dos chefes (incluindo o Mr.X) que Thomas enfrenta no final de cada andar deste templo.

Os "cinco filhos do demónio" são cada um dos chefes (incluindo o Mr.X) que Thomas enfrenta no final de cada andar deste templo.

A Inspiração do Jogo: Kung-Fu Master:

Muitos jogadores durante a época do lançamento de Kung Fu Master, associaram imediatamente o cenário de fundo do jogo ao que existe no filme: "Game of Death" (O Jogo da Morte) de 1978/79. Tal como no filme, Bruce Lee tinha que percorrer um templo com cinco andares e em cada um deles enfrentar cada um dos mestres até chegar ao oponente final. Portanto durante muito tempo,quem jogou apenas a versão ocidental, acreditava que o personagem protagonista de Kung Fu Master fosse de fato Bruce Lee

Palsangjeon (Salão das Oito Imagens) localizado no Templo de Beopjusa na Coreia. Único templo no mundo feito inteiramente de madeira e papel, segundo o filme, cada andar simbolizava uma disciplina marcial diferente.
Na verdade o nome do jogo e os personagens foram inspirados em um filme de outra lenda das artes marciais. O filme: "Spartan X" (Wheels on Meals) tendo Jackie Chan como protagonista e interpretando um personagem chamado Thomas. O clímax desta produção chinesa de 1984 (mesmo ano de lançamento do game para Arcade) fica quando Thomas deve resgatar uma ladra chinesa chamada Sílvia de uma organização criminosa.


Flyer do Arcade Spartan X com Jackie Chan como destaque além da produtora do jogo e também do filme

Diferenças Regionais:

As versões Americana e Inglesa (Europeia) de Kung Fu Master tiveram uma mudança no layout e nome do jogo, abreviaram o copyright apenas para a Irem e utilizaram uma linguagem um pouco mais despojada e comum para a época, conforme podemos ver nos destaques da imagem.

A versão Asiática (Japonesa e Chinesa) mantiveram o nome do Filme e produtora que inspirou os personagens do jogo, a única mudança na linguagem da abertura do jogo esta na palavra KanFu ao invés de Kung Fu.

KUNG FU MASTER / SPARTAN X - SEGUNDO A ANÁLISE DE: OLD GAME MASTER:  





GRÁFICOS:

Simples para os padrões atuais, mas, cheio de detalhes e coloridos para quem curtiu o Arcade durante a metade dos anos 80. Kung Fu Master transporta o jogador para um cenário típico dos filmes de Artes marciais. Os inimigos talvez pareçam repetitivos e previsíveis na sua ação na tela de jogo, mas olhem com mais cuidado, se Thomas é um mestre em artes marciais, os inimigos não estão ai apenas para apanhar, eles vão para cima no verdadeiro tudo ou nada.

SOM:

O Som não é muito variado no decorrer das fases (andares) o destaque fica pelos efeitos sonoros do personagem enquanto aplica os golpes ou quando recebe algum dos inimigos e sem esquecer a risada maléfica de Mr. X no intervalo de algumas fases.

JOGABILIDADE:

Como bom percussor do gênero Beat’em Up (Lit. Andar e Bater) a jogabilidade se resume em percorrer cada andar e ir derrotando os inimigos, além de um chefe de fase que guarda a escada para o próximo andar.

Embora o jogador disponha de uma variedade de golpes para derrotar os inimigos, Kung Fu Master sofria de um problema muito peculiar aos jogos de Arcade na época, a lentidão  que não acarretava uma resposta imediata de alguns comandos. Quando Thomas é cercado e agarrado por um grupo de inimigos não existe um golpe especial ou comando que reverta rapidamente esta situação. 


Essa sem dúvida é uma das partes mais frustrante da jogabilidade de Kung Fu Master, estar cercado por inimigos e não ter um movimento imediato de esquiva ou golpe especial.

Na situação acima o jogador perdia uma quantidade considerável de energia ( principalmente se um atirador de facas aparecesse). O jogo também não possui itens para repor a energia perdida durante a ação, talvez, isso fosse algo proposital para aumentar ainda mais o fato de dificuldade, além do fato das fases serem relativamente curtas e de ação constante.

Mas não deixem isso desanimarem vocês, Kung Fu Master, é um jogo desafiador e divertido. A oportunidade de conhecerem o percussor de jogos Beat’em Up vale á muito á pena. Após experimentarem este jogo, irão perceber o quando a  jogabilidade melhorou muito, mas que essencialmente vários dos futuros clássicos do gênero nos Arcades tiraram sua inspiração deste jogo.










5 comentários:

Orakio Gagá Rob disse...

Ótimo post, muito legal! Não conheci essa história do filme do Jackie Chan. Por coincidência, joguei ontem esse joguinho no NES, mas jogava muito nos tempos de MSX também.

Orakio Gagá Rob disse...

Corrigindo: não conheciA :)

J.F. Souza (Yoz) disse...

Kung Fu na cabeça, lembro dos velhos tempos de Arcade...

Flávinha disse...

Massa esse blog! Jogava esse jogo no meu Dynavision Radical vinha no cartucho de 64 jogos!
Não tem como deixar a comunidade de ser moderada para eu entrar??

Mestre Ryu Kanzuki disse...

Puxa, Reinaldo. Agora que eu fui parar pra ver o blog. Tem matérias cheia de detalhes e explicações sobre jogos de ação clássicos. Todo esse clima é inspirador. Continue com esse maravilhoso trabalho.

Me lembro que fizeram uma paródia no You Tube com esse jogo, Kung Fu Master. Se não me engano eu devo ter jogado esse ou algum jogo parecido num Magic Computer (aparelho que roda jogos de NES)

Vou ler com mais calma o post do Vigilate e comentar depois também. Muito me interessou.
Abraços!!